[AVISO] CCT – CONVENÇÕES COLETIVAS DE TRABALHO 2017/2018

“AVISO DE EXTREMA IMPORTÂNCIA”

ÁS EMPRESAS INSTALADORAS

 

São Paulo, 31 de maio de 2.017

 

O Sindicato da Indústria de Instalações Elétricas, Gás, Hidráulicas e Sanitárias do Estado de São Paulo – Sindinstalação vem prestar esclarecimentos às empresas associadas e filiadas em sua base de representação, sobre o andamento das negociações com os vários paritários Sindicatos dos Trabalhadores, em relação à formalização de Convenções Coletivas de Trabalho (CCT) para o período de 2017/2018.

A atual conjuntura econômica impõe restrições para o atendimento das pautas reivindicatórias dos Sindicatos Laborais.

O propósito maior focado durante as assembleias foi o de atender em parte as reivindicações dos trabalhadores, num patamar justo, porém sempre com atenção na responsabilidade social de preservação dos empregos e, dentro das possibilidades de custeio pelas empresas principalmente quando a cadeia produtiva da construção civil ainda se vê com contínuo índices negativos.

Nossa data base da categoria é 1º de maio, e considerando a variação de 3,99% no Índice Nacional de Preços ao Consumidor INPC, para o período de abrangência da CCT 2017/2018, a proposta patronal para as cláusulas econômicas assim se apresentou:

Reajuste de 3,99% sobre os pisos salariais, tanto para “qualificados como os não qualificados”;

3,99% de reajuste salarial para os empregados com salário mensal de até R$ 6.000,00;

Reajuste de R$ 239,40 para os empregados que recebem salário mensal a partir de R$ 6.000,01;

As empresas poderão complementar o reajuste firmado livremente de acordo com a sua política salarial;

Tíquete refeição: R$ 20,80 o valor mínimo unitário;

Vale Supermercado: 286,00 o valor fixado mensal.

Sob esse critério, em similaridade com outros importantes sindicatos patronais do setor, inclusive com o Sinduscon, até o presente momento o Sindinstalação firmou várias CCTs com os Sindicatos dos Empregados neste Estado, as quais podem ser acessadas em nosso site institucional – www.sindinstalacao.com.br

As correções salariais acima devem ser apropriadas na folha de pagamento de cada empresa, a partir da data base 1º de maio.

O Sindinstalação recomenda este mesmo procedimento para aquelas empresas que no seu município de atividade ainda não tenha sido firmada CCT com o Sindicato dos Trabalhadores correspondente.   Esta recomendação é medida importante para evitar nas empresas o acumulo de passivos trabalhistas, até porque as Convenções Coletivas de Trabalho firmadas de agora em diante conterão cláusula específica retrocedendo tais correções salariais também a partir do dia 1º de maio passado.

O Sindinstalação está empenhado em negociar estas mesmas condições com todos os Sindicatos dos Trabalhadores, até por uma questão de isonomia setorial.

Continua aberto para firmar Convenções Coletivas de Trabalho com a totalidade de seus paritários, cujos alguns ainda têm resistências em não aceitar a proposta patronal e estão consultando suas bases do interior.

Desempenhamos a representação dos interesses das empresas instaladoras deste Estado, agindo com responsabilidade frente aos desafios econômicos do setor, e desta forma aconselhamos uma vez mais que as empresas, principalmente no âmbito da grande SP e Interior do Estado, não aceitem firmar Acordos Coletivos de Trabalho isolados, sem a intermediação do Sindinstalação, submetendo-se às pressões da representação sindical dos trabalhadores. Nossa experiência enquanto entidade patronal desabona esta forma de acordo, que geralmente, num segundo momento, leva as empresas a ficarem à mercê de condições trabalhistas crescentemente onerosas em futuras negociações, sujeitando-se inclusive à perda de competitividade setorial.

Como proposta, a direção das empresas instaladoras deve reunir seus colaboradores e explanar a eles os motivos elencados no 3º parágrafo acima, fazendo-os sabedores da real intenção e propósito responsável da organização em que trabalham.

O Sindinstalação está à disposição das empresas para esclarecimentos que se fizerem necessários.

Assinam,

Presidente

Diretor Vice Presidente Jurídico e Institucional

Diretor Executivo

Tem alguma opinião sobre o assunto?